Notícias

CerradinhoBio cria divisão de negócios para produtos derivados do milho

icone 26/08/2020

CerradinhoBio cria divisão de negócios para produtos derivados do milho

A CerradinhoBio dá mais um passo para ampliar sua atuação no mercado de bioenergia diversificando suas fontes de matéria-prima e o portfólio de produtos. A empresa apresenta a sua subsidiária Neomille, que passa a ser responsável pelo processamento de milho, produção de etanol de milho e componentes para ração animal.

A criação da Neomille está diretamente ligada ao investimento de R$ 280 milhões na construção da unidade de processamento de milho para produção de etanol e suprimentos para ração animal a partir do milho. A unidade, já em operação, produzirá em média anualmente, 245 milhões de litros de etanol hidratado, 175 mil toneladas de DDGS e 7 mil toneladas de óleo, moendo cerca de 580 mil toneladas de milho.

Segundo Paulo Motta, presidente da CerradinhoBio, esse é mais um movimento importante na estratégia de crescimento da Empresa. “O negócio etanol de milho gera e distribui valor; cria e fortalece parcerias no campo. A Neomille oferta uma opção competitiva para nutrição animal do Centro-Sul e Sudeste do país; e ainda amplia as alternativas na nossa região para comercialização do milho que, antes era predominantemente exportado e agora dobra de valor na cadeia com a produção de DDGs e óleo, além do etanol um combustível limpo e renovável”, destaca.

Reforçando os valores institucionais de compromisso com meio ambiente e a sustentabilidade, a unidade de produção da Neomille adota a mais alta tecnologia disponível para o processamento do milho sem gerar qualquer resíduo. Ela cria, também, oportunidades para o plantio de biomassa, como por exemplo o eucalipto, utilizadas na cogeração e energia renovável. O plantio de biomassa é mais uma opção de diversificação para o agricultor e uma ótima solução para recuperação de áreas degradadas.

A Neomille produz o Neo30 que aproveita todo o valor proteico do milho para nutrição animal, na forma de DDGs. “Além de ser um produto seco e rico em proteínas, o Neo30 está disponível durante todo o ano, assegurando um abastecimento regular e contínuo, não sendo necessário estocar grandes quantidades para suprimento durante todo o ano. Quem optar pelo Neo30 terá grandes benefícios”, enfatiza Motta.

Sobre o Grupo

Considerando as plantas de cana (CerradinhoBio) e milho (Neomille), a Companhia possui o maior complexo produtor de etanol do Brasil, com capacidade consolidada para produzir 730 milhões de litros de etanol e gerar 1.300 GWh de energia.

Última Atualização em 26 de Agosto de 2020

​ ​
CerradinhoBio doa caminhão pipa ao município de Chapadão do Céu

icone 27/09/2019

CerradinhoBio doa caminhão pipa ao município de Chapadão do Céu

Na última sexta-feira, 20/09, na CerradinhoBio, o Diretor de Operações Luiz Augusto Resende e o gerente de Recursos Humanos, Maurício Heusy, receberam o prefeito de Chapadão do Céu, Rogério Graxa e sua equipe de assessores, além de alguns vereadores, na CerradinhoBio.

Na ocasião, conversaram sobre a atuação da Empresa na região, a construção da nova Usina que produzirá etanol a partir do milho, e a importância da parceria entre a Prefeitura e a Empresa.

Ao fim do encontro, a CerradinhoBio aproveitou o momento para entregar, oficialmente, a doação de um caminhão pipa ao município. Para o Diretor de Operações Luiz Augusto Resende, a parceria com o município é essencial para que a Empresa possa continuar crescendo e prosperando em seus negócios. “Chapadão do Céu sempre recebeu a CerradinhoBio de braços abertos e, a cada ação ou nova atividade da Empresa queremos retribuir todo esse apoio do município e da comunidade com uma parceria de mão dupla, sólida e crescente“, comentou.

Para o prefeito de Chapadão do Céu, Rogério Graxa, “o caminhão irá fortalecer a capacidade operacional da Prefeitura no apoio de serviços prestados à comunidade“.

Clique aqui para acessar o PDF.

Última Atualização em 27 de Setembro de 2019

​ ​
CerradinhoBio divulga apoio a iniciativas sociais em Chapadão do Céu

icone 24/09/2019

CerradinhoBio divulga apoio a iniciativas sociais em Chapadão do Céu

Este ano, para que as entidades locais pudessem inscrever seus projetos de solicitação de patrocínio e doações, a CerradinhoBio ofereceu capacitação específica sobre Incentivos Fiscais para Captação de Recursos. No total, 30 projetos de 16 entidades/pessoas físicas foram inscritos.

A avaliação foi feita pelo Comitê de Investimento Social da empresa, composto por colaboradores da CerradinhoBio e membros da sociedade civil de Chapadão do Céu, que não estão envolvidos direta ou indiretamente nos projetos cadastrados.

Após detalhada análise baseada em critérios preestabelecidos pela empresa, foram selecionados seis projetos que, juntos, receberão um total de R$263.324,00. Os valores serão disponibilizados para as Instituições após apresentação de documentação para formalização do Convênio.

Clique aqui para acessar o PDF.

Última Atualização em 24 de Setembro de 2019

​ ​
CerradinhoBio é destaque entre as 1.000 Maiores Empresas do Brasil

icone 14/08/2017

CerradinhoBio é destaque entre as 1.000 Maiores Empresas do Brasil

A revista Exame realiza anualmente avaliação dos dados de mais de 3.000 empresas com objetivo medir o desempenho individual das companhias. Com base nos resultados de 2016, a CerradinhoBio foi classificada em 5 categorias, registrando crescimento nos rankings.

Confira abaixo as posições alcançadas no Ranking pela CerradinhoBio:

 

Categorias 2018
Ranking valor 1000 641°
1.000 Maiores vendas do Brasil 735°
400 Maiores do Agronegócios no Brasil 203°
50 Maiores do Agronegócios na região norte e centro oeste 41°
Destaque do setor na região norte e centro oeste

Para acessar o documento completo, clique aqui.

Última Atualização em 14 de Agosto de 2017

​ ​
CerradinhoBio recebe Prêmio “Os Maiores do ICMS”

icone 03/07/2017

CerradinhoBio recebe Prêmio “Os Maiores do ICMS”

Clique aqui para acessar a notícia em PDF.

Última Atualização em 3 de Julho de 2017

​ ​
Pentacampeã em produtividade da Cana no estado de Goiás

icone 10/04/2017

A premiação realizada pelos grupos IDEA e CTC avalia os resultados obtidos em todas as usinas do centro-sul do Brasil e concedeu à CerradinhoBio o 1º lugar em produtividade de Cana no estado de Goiás pela 5ª safra consecutiva. A entrega do prêmio ocorreu na cidade de Ribeirão Preto/SP, durante o 19º Seminário de Mecanização e Produção de Cana-de-Açúcar, onde foram apresentados os números realizados pela CerradinhoBio, que também conquistou o 1º lugar no índice IDEA da região Centro-Oeste.

Última Atualização em 10 de Abril de 2017

​ ​
Renovabio: CerradinhoBio seria campeã na geração de cbios entre janeiro e dezembro de 2019

icone 11/08/2020

Renovabio: CerradinhoBio seria campeã na geração de cbios entre janeiro e dezembro de 2019

A Cerradinho foi a 8ª empresa e 4ª processadora de cana certificada no programa de incentivo aos biocombustíveis chamado Renovabio.

Em uma simulação realizada pela Nova Cana (jornal digital) a CerradinhoBio seria campeã na geração de Cbios entre janeiro e dezembro de 2019, com 580,2 mil créditos na produção de etanol hidratado uma vez que sua produção foi de 445,64 mil m³ do etanol hidratado. O programa tem como objetivo estabelecer metas de descarbonização, incentivando o aumento da produção e participação de biocombustíveis na matriz energética do país.

As boas práticas agrícolas e industriais adotadas pela empresa nos permitiram ter uma nota considerada positiva no programa – 62,3 gCO2/MJ. Acreditamos e investimos sistematicamente em tecnologia para produzir com eficiência, baixo custo e, acima de tudo, respeitando a sociedade onde estamos inseridos e o meio ambiente.

Clique aqui para acessar a matéria completa.

Última Atualização em 11 de Agosto de 2020

​ ​
Cerradinho é destaque no Jornal Valor Econômico

icone 01/07/2020

Cerradinho é destaque no Jornal Valor Econômico

Em matéria publicada em 01/07, o Jornal Valor Econômico ressaltou os bons resultados da safra 19/20, incluindo a moagem recorde na cana e a operação da nova planta de milho.

A matéria também destacou a forma positiva que a Empresa vem enfrentando a crise do coronavírus.

Clique aqui para acessar a matéria completa.

Última Atualização em 1 de Julho de 2020

​ ​
Usina do Ano na Área Agrícola - Prêmio MasterCana Brasil

icone 26/11/2019

Cerradinho em Foco

A CerradinhoBio foi vencedora, mais uma vez, no Prêmio MasterCana Brasil na categoria Usina do Ano – Área Agrícola. Realizado desde 1988, o evento é o mais tradicional do setor e reuniu Usinas e Empresas que representam 2/3 da produção brasileira sucroenergético. A Empresa foi representada pelo presidente do Conselho Acionista, Luciano Sanches Fernandes que recebeu o troféu das mãos do presidente da ProCana Brasil, Josias Messias.
O prêmio vem para reforçar o momento que a CerradinhoBio vive com bons resultados de moagem e produção e o investimento na construção da obra da planta de milho que está em fase final de conclusão para entrar em operação em breve.

​ ​
CerradinhoBio é destaque entre as 1.000 Maiores & Melhores Empresas do Brasil

icone 24/09/2019

CerradinhoBio é destaque entre as 1.000 Maiores Empresas do Brasil

A revista Exame realiza anualmente avaliação dos dados de mais de 3.000 empresas, além dos maiores grupos privados do país. O critério para avaliar o sucesso é basicamente uma comparação dos resultados obtidos em termos de crescimento, rentabilidade, saúde financeira, participação de mercado e produtividade por empregado.
Também estão incluídas as companhias limitadas que enviaram seus resultados para análise de MELHORES E MAIORES e responderam aos questionários.

1000 Maiores Empresas Em 2018, a Cerradinho Bioenergia foi destaque no setor, alcançando a maior nota em crescimento sustentável.

 

Confira abaixo as posições alcançadas no Ranking pela CerradinhoBio:

 

Categorias 2018
Ranking Valor 1000 641º
1.000 Maiores em Vendas no Brasil 735º
400 Maiores do Agronegócios no Brasil 203º
50 Maiores do Agronegócios na Região Norte e Centro Oeste 41º
Destaque do setor na Região Norte e Centro Oeste

 

A CerradinhoBio compartilha com todos os seus colaboradores e parceiros este importante reconhecimento e sente-se orgulhosa em estar entre as maiores empresas do país.

​ ​
CerradinhoBio recebe prêmio Destaque em Geração e Cogeração de Energia

icone 24/09/2019

CerradinhoBio recebe prêmio Destaque em Geração e Cogeração de Energia

A CerradinhoBio participou da 10ª edição do Prêmio Visão Agro, onde foi eleita a melhor da região Centro-Sul na categoria:

“GERAÇÃO E COGERAÇÃO DE ENERGIA”

O Prêmio Visão Agro homenageia anualmente, empresas que se destacam em áreas de transformação e produção no setor
sucroenergético, na região Centro-Sul do país.
A CerradinhoBio compartilha com seus colaboradores este importante reconhecimento.

​ ​
CerradinhoBio é 1º lugar de Produtividade Agrícola em Goiás pela 7º safra consecutiva

icone 09/04/2019

CerradinhoBio é 1º lugar de Produtividade Agrícola em Goiás pela 7º safra consecutiva

Pelo 7º ano consecutivo a CerradinhoBio recebe o Prêmio Campeã de Produtividade Agrícola em Goiás. Organizado pelo Grupo IDEA e CTC, o prêmio destacou as 10 melhores empresas produtoras de cana de açúcar do Centro Sul do Brasil na safra 2018/19.
A premiação aconteceu durante o 21º Seminário de Mecanização e Produção de Cana de Açúcar, no dia 28 de março, em Ribeirão Preto/SP. Parte do nosso time da Agrícola esteve presente no evento representando a empresa e recebeu este importante reconhecimento que nos enche de orgulho!

“Esse reconhecimento é fruto de muito trabalho e dedicação de toda equipe. Parabenizo a todos por mais esta conquista.”
Murilo Ferreira – Gerente Agrícola

​ ​
CerradinhoBio segue em primeiro lugar no Ranking de Cogeração de Energia

icone 09/04/2019

CerradinhoBio segue em primeiro lugar no Ranking de Cogeração de Energia

Em 2018, 188 usinas no país usaram biomassa de cana para gerar 21,46 TWh de bioenergia, e a CerradinhoBio conquistou o primeiro lugar no desempenho individual, de acordo com ranking do portal NovaCana.com, que compara anualmente os resultados operacionais das usinas do Brasil.

Analisando o ranking por usina, exportamos 454,71 GWh ao longo do ano e garantimos a primeira colocação pelo segundo ano consecutivo. No ranking geral ficamos na 13ª posição, atrás de grupos que possuem mais de uma unidade operacional.

No terceiro trimestre da safra 2018/19 já havíamos alcançado resultado financeiro 20,8% superior ao mesmo período do ano anterior com a comercialização de energia elétrica. Ainda assim, em volume, apresentamos uma retração de 7,77% frente aos 493,01 GWh produzidos em 2017.

Para o gerente industrial, Walter Di Mastrogirolamo:

“O resultado reflete a estratégia da CerradinhoBio em explorar o potencial energético da cana através dos investimentos realizados na cogeração de energia e o comprometimento de seus colaboradores na superação dos desafios para o alcance das metas ao longo da safra”.

A CerradinhoBio parabeniza toda equipe industrial pelo ótimo resultado alcançado e compartilha com todos seus colaboradores mais essa conquista!

​ ​
CerradinhoBio é homenageada no 16º Prêmio Visão Agro 2018

icone 11/12/2018

CerradinhoBio é homenageada no 16º Prêmio Visão Agro 2018

No dia 04 de dezembro, aconteceu o 16º Prêmio Visão Agro 2018, evento que homenageia todos aqueles que se destacaram na áreas de transformação e produção no setor sucroenergético do país.

Na ocasião, o Presidente do Conselho de Administração, Luciano Sanches Fernandes, uma das mais importantes lideranças do setor sucroenergético, foi homenageado na categoria “Melhores Gestores”.

Já a CerradinhoBio foi destaque nas categorias “Geração e Cogeração de Energia” e “Investimentos e Ampliações” no setor sucroenergético, posicionando-se entre as melhores do país e que fizeram a diferença no ciclo 2017/2018.

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio é destaque entre as 500 Maiores Empresas do Agronegócio

icone 19/11/2018

Ranking VALOR 1000 reúne as empresas com melhor desempenho no Brasil

A revista Globo Rural, em parceria com a Consultoria Serasa Experian, elabora o anuário “Melhores do Agronegócio”, que revela as 500 maiores empresas que atuam no segmento da agroindústria no Brasil em vinte categorias.

Para eleger as 500 maiores empresas, são consideradas as demonstrações contábeis e um questionário de pesquisa respondido pelas concorrentes.

No Ranking geral 2018 (que considera dados de 2017), a CerradinhoBio ficou classificada na posição 164. Já entre as mais de 80 empresas que concorreram na categoria Bioenergia, estamos na 24a posição.

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio entre as 150 melhores empresas para se trabalhar

icone 19/11/2018

CerradinhoBio entre as 150 melhores empresas para se trabalhar

A Cerradinho Bioenergia S/A foi classificada no seleto ranking das 150 Melhores Empresas para se Trabalhar no Brasil na pesquisa realizada pela Revista Você S/A – Exame. Esta premiação reflete a percepção positiva dos seus colaboradores em relação à Companhia, que em menos de uma década já figura como um dos maiores players do setor de bioenergia no país.

Este ano, aproximadamente 500 empresas participaram da pesquisa. Critérios como Práticas de Gestão de Pessoas, Reconhecimento e Recompensa, Carreira, Liderança, Clima Organizacional, Desafios e Perspectivas, entre outros, foram avaliados através de pesquisa com todo efetivo da empresa, e entrevistas com grupos de colaboradores e gestores, realizadas por especialistas e jornalistas da publicação. Deste total, saíram os 150 classificados e a CerradinhoBio é a 3a melhor empresa do setor de Agronegócios. A cerimônia do Prêmio aconteceu no dia 06 de novembro, em São Paulo.

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio é a maior no setor de Açúcar e Álcool da região Centro-Oeste

icone 24/08/2018

Ranking VALOR 1000 reúne as empresas com melhor desempenho no Brasil

A classificação é realizada a partir de critérios da FGV (FundaçãoGetúlioVargas) e Serasa pelo jornal Valor Econômico, uma das principais publicações de economia e finanças do país.

O ranking mede o desempenho das empresas por meio de indicadores como classificação geral, destaques da região, liquidez, maiores da região, cobertura de juros, dentre outros.

No ranking de 2017 publicado esta semana a CerradinhoBio esteve presente em 4 categorias:

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio é destaque entre as 1.000 Maiores Empresas do Brasil

icone 23/08/2018

CerradinhoBio é destaque entre as
1.000 Maiores & Melhores Empresas do Brasil

A revista Exame realiza anualmente o desempenho individual de mais de 3.000 empresas no Brasil. Com base nos resultados de 2017, a CerradinhoBio foi classificada em 4 categorias desta edição.

Confira abaixo as posições alcançadas no Ranking pela CerradinhoBio:

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio é hexacampeã na 9ª edição do Prêmio Visão Agro

icone 01/08/2018

CerradinhoBio é eleita a melhor da Região Centro Sul em Investimentos, Ampliações, Geração e Cogeração de Energia

A CerradinhoBio participou da 9ª edição do Prêmio Visão Agro, onde foi eleita a melhor da região Centro-Sul nas categorias:

“INVESTIMENTOS E AMPLIAÇÕES – UNIDADE CHAPADÃO DO CÉU”
“GERAÇÃO E COGERAÇÃO DE ENERGIA – CERRADINHO BIO”

O Prêmio Visão Agro tem por objetivo homenagear durante o ano todos aqueles que se destacaram em áreas de transformação e produção no setor sucroenergético da região Centro-Sul do país, as usinas que fizeram a diferença no ciclo 2017/2018 dentro do mercado sucroenergético da região Centro-Sul, em sua respectiva área de atuação.

A cerimônia de entrega do Prêmio Visão Agro Centro-Sul 2018 foi marcada pelas manifestações de reconhecimento das externalidades do setor sucroenergético e sua importância como um instrumento para a retomada econômica do país. O evento aconteceu na última terça-feira (24/07), em Piracicaba-SP, e reuniu um seleto grupo de empresários do segmento, homenageados na ocasião pelo empenho em prol da agroindústria canavieira. Em sua 9ª edição, a premiação foi entregue às personalidades, empresas nas áreas administrativa, agrícola, industrial, e melhores usinas.

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
Hexacampeã em produtividade da Cana no estado de Goiás

icone 29/03/2018

Hexacampeã em produtividade da Cana no estado de Goiás

A premiação realizada pelos grupos IDEA e CTC avalia os resultados obtidos em todas as usinas do centro-sul do Brasil e concedeu à CerradinhoBio o 1º lugar em produtividade de Cana no estado de Goiás pela 6ª safra consecutiva. A entrega do prêmio ocorreu na cidade de Ribeirão Preto/SP, durante o 20º Seminário de Mecanização e Produção de Cana-de-Açúcar, onde foram apresentados os números realizados pela CerradinhoBio.

​ ​
CerradinhoBio, a maior em Bioeletricidade entre usinas

icone 14/03/2018

No último dia 06 de março o Portal Nova Cana, um dos principais veículos de comunicação do setor sucro energético, elencou as 100 usinas que geraram mais energia em 2017 e a CerradinhoBio ficou em 1º lugar.

Enquanto em 2016 a usina apareceu em 15º lugar dentre as maiores produções do país, em 2017 sua produção cresceu 76,32%, chegando a 493,01 MWh, 33% maior que a do segundo lugar, sendo a maior quantidade gerada por uma única usina desde 2013.

O aumento da produção se deve ao investimento realizado na cogeração, chegando à capacidade de exportação de energia de 850 GWh/ano, à potência instalada de 160 MW.

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio investirá R$ 280 milhões na produção de etanol de milho

icone 01/02/2018

Com geografia privilegiada para originação de matéria-prima e escoamento dos produtos, aliada à contínua estratégia de geração de valor para empresa, comunidade e parceiros, a Cerradinho Bioenergia S.A. anuncia a implantação de uma planta produtora de etanol de milho que utilizará as melhores tecnologias existentes internacionalmente para diversificar sua fonte de matérias-primas e, a partir do milho, produzir biocombustível e produtos para alimentação animal.

O investimento de R$ 280 milhões aumentará a produção de etanol em 230.000 m³, equivalente a 50% da capacidade atual, consolidando a usina como o maior complexo industrial de produção de bioenergia da América Latina.

O projeto de expansão prevê uma ocupação de 190 mil metros quadrados, situados ao lado do atual parque da CerradinhoBio, em Chapadão do Céu, sudoeste de Goiás. A localização foi estrategicamente pensada para que haja sinergia com as operações já existentes de produção de etanol a partir da cana-de-açúcar, especialmente na utilização de insumos-chave, como energia e vapor, somada a toda a infraestrutura e conhecimento do ambiente de produção.

A nova planta também produzirá óleo e DDGs (Dried Distillers Grains with Solubles), produtos que recuperam 100% das fibras, proteína e gordura contidas no milho, e que serão destinados ao mercado de nutrição animal, ampliando assim o portfólio de produtos da empresa. As tecnologias e processos aplicados assegurarão que a nova fábrica opere sem a geração de qualquer tipo de resíduo, transformando toda a matéria-prima e insumos em produtos.

Com previsão de 14 meses, a obra empregará mais de 500 pessoas e outros novos 50 postos de trabalhos serão gerados com o início operacional da planta, previsto para maio de 2019.

Após inaugurar em 2017 a ampliação da cogeração de energia – tornando-se a maior termelétrica de energia a biomassa do Brasil, com capacidade de exportação de energia de 850 GWh/ano e potência instalada de 160 MW, o projeto de etanol de milho confirmará a CerradinhoBio como referência em bioenergia no país.

Clique aqui para acessar o PDF.

​ ​
CerradinhoBio é destaque no prêmio MasterCana 2017

icone 13/11/2017

CerradinhoBio é destaque no Prêmio MasterCana 2017

No dia 06/11, a CerradinhoBio foi novamente destaque no Prêmio MasterCana 2017, que se destina aos Melhores do Ano no Setor Sucroenergético no Brasil. É a mais tradicional premiação setorial que, desde 1988, vem reconhecendo o mérito das pessoas e organizações que se destacam no aprimoramento humano, tecnológico e socioeconômico do agronegócio brasileiro.

O Presidente do Conselho, Luciano Sanches Fernandes, foi laureado com o Prêmio MasterCana de Empresário do Ano de 2017. Na oportunidade, dedicou o prêmio à toda equipe Cerradinho, agradecendo o empenho de todos colaboradores e alta administração pelos resultados positivos nos últimos anos.

Já a CerradinhoBio recebeu o Prêmio MasterCana de Desempenho em Bioeletricidade através do Diretor Comercial, Logística e Suprimentos, Charles Wagner Zanotti.

Clique aqui para acessar o PDF.

Última Atualização em 13 de Novembro de 2017

​ ​
CerradinhoBio busca diversificar matérias-primas para etanol

icone 20/09/2017

CerradinhoBio busca diversificar matérias-primas para etanol

Criada na época da expansão do setor sucroalcooleiro rumo ao Centro-Oeste, a CerradinhoBio busca diversificar suas matérias-primas para a produção de energia elétrica e etanol como forma de sustentar seu plano de crescimento. A estratégia inclui o uso de biomassas alternativas para a cogeração e até uso de milho para a produção do biocombustível, disse Paulo Motta, CEO da companhia.

A empresa, que teve receita de R$ 811 milhões na última safra, inaugura hoje a expansão das operações de cogeração em sua usina em Chapadão do Céu, no sudoeste de Goiás. Os dois novos turbogeradores e a segunda caldeira
recém-instalada dobraram a potência da unidade para 160 megawatts (MW) médios. Dessa forma, a planta é capaz de vender até 850 gigawatt-hora (GWh) por safra.

O pontapé para a expansão da cogeração se deu dois anos atrás, quando a CerradinhoBio também começou a fazer pequenos aportes na moagem de cana. Desde então, seu processamento saiu de 4,8 milhões de toneladas na safra
2015/16 para 5,4 milhões de toneladas na atual. No próximo ciclo, a usina deverá moer 5,7 milhões de toneladas, e novos aportes elevarão a capacidade de processamento até 6,3 milhões de toneladas a partir de 2021.

A nova caldeira, porém, também permite a utilização de outras biomassas. A CerradinhoBio já fez testes com sorgo sacarino e um “pequeno teste” com o capim braquiária. Neste momento, a unidade está rodando com cavaco de
eucalipto, mas em uma etapa experimental, segundo Motta.

O uso de biomassas alternativas vai depender das condições de mercado. Além de em geral custarem mais caro, a obtenção dessas biomassas precisa ser programada com antecedência. O cavaco de eucalipto, por exemplo, está
produzindo energia para um contrato bilateral por um preço de R$ 260 p MW, com entrega por seis meses.

A diversificação de matérias-primas também está em estudo para o etanol. Por estar no Centro-Oeste, – coração da safra de grãos do país – a empresa avalia usar o milho para produzir o biocombustível.

As vantagens, disse Motta, são a proximidade com lavouras do grão e uma estrutura industrial já instalada. “Um projeto desses teria sinergias, como a parte de utilidades, de gestão e estrutura física. Mas também demanda um
investimento razoável, porque estamos falando de um processamento desde o recebimento do milho, estocagem até moagem, que é separada”.

Segundo o executivo, a diversificação de fontes permite um melhor gerenciamento de riscos, favorecendo o plano de crescimento da companhia.

Para esta safra, a CerradinhoBio espera aumentar sua receita em 8,5%, para R$ 880 milhões, e elevar em 17% seu lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) para R$ 440 milhões. A perspectiva é que a venda de energia elétrica tenha uma participação maior na receita da companhia nesta safra, de 12,8%, ante 9% na temporada passada.

A partir da próxima safra, dois terços da receita com cogeração devem vir das vendas no mercado regulado. Atualmente, a CerradinhoBio entrega energia em três contratos, e um quarto começará a valer a partir do ano que vem

​ ​
CerradinhoBio é destaque no Prêmio Empresa Mais do Jornal Estadão

icone 14/09/2017

CerradinhoBio é destaque no Prêmio Empresas Mais do Jornal Estadão

A CerradinhoBio é destaque novamente no cenário nacional. A empresa ficou em 1º lugar na categoria Destaques da região Centro-Oeste do prêmio Empresas Mais, do Estadão, um dos mais importantes jornais do estado de São Paulo.

O prêmio foi entregue nesta quinta-feira, 14, em um evento que contou com a participação de representantes das maiores empresas do país, além de autoridades políticas, como o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Elaborado em parceria com a FIA e a Austin Rating, o Empresas Mais analisa uma base de dados de 1,5 mil empresas e leva em consideração o desempenho econômico dos negócios e também iniciativas de governança corporativa.

“Esse prêmio mostra que estamos no caminho certo, com crescimento sustentável baseado em alta produtividade e
disciplina de custos. Num Brasil que apresenta sinais de retomada, estamos prontos para voos ainda maiores.”

​ ​
CerradinhoBio é a maior no setor de Açúcar e Álcool da região Centro-Oeste

icone 25/08/2017

Ranking VALOR 1000 reúne as empresas com melhor desempenho no setor de Açúcar e Álcool

A classificação realizada pelo jornal Valor Econômico com critérios da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e Serasa, mediu o desempenho das empresas por meio de 8 indicadores: classificação geral, destaques da região, liquidez corrente, maiores da região e cobertura de juros.

No ranking de 2016 publicado esta semana, a CerradinhoBio cresceu 73 posições na classificação geral. Presente em 5 categorias, está entre as 10 empresas mais bem avaliadas em liquidez corrente por uma das principais publicações e economia e finanças do país.

Confira os resultados:

Categorias 2015 2016
1.000 Classificação Ranking Valor Econômico 1.000 642º 569º
10 Maiores Empresas Liquidez Corrente em Goiás
10 Maiores Empresas Cobertura de Juros em Goiás
50 Maiores por Região 41º
Destaque na Região Norte/Centro-Oeste
​ ​
CerradinhoBio recebe R$150,0 milhões em financiamento do IFC

icone 30/03/2017

A Cerradinho Bioenergia S.A. recebeu o montante de R$150,0 milhões desembolsados pelo IFC, membro do Grupo Banco Mundial, para investimentos de longo prazo na empresa. O contrato, que havia sido assinado em julho de 2016, previa a concretização do investimento após o processo de constituição de garantias que também envolveu o BNDES.

O financiamento, que tem um período total de amortização de 10 anos (3 anos de carência), auxiliará a CerradinhoBio a aumentar em 28% sua produção de bioetanol usado como combustível renovável, e mais que dobrar sua capacidade de geração de energia a partir do bagaço da cana, energia essa que será usada para suprir suas próprias necessidades energéticas, sendo o excedente exportado à rede elétrica nacional. Isso contribuirá para a redução da emissão dos gases de efeito estufa em cerca de 280.000 toneladas equivalentes de CO2 por ano.

Além de fomentar o desenvolvimento da região de Goiás, cuja economia depende substancialmente do agronegócio, este investimento do IFC contribui também para o crescimento do setor de açúcar e etanol e dá suporte ao crescimento da produção de energia renovável no Brasil.

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

​ ​
CerradinhoBio entre as 1000 maiores empresas do Brasil

icone 08/09/2016

Melhores & Maiores: CerradinhoBio entre as 1000 maiores empresas do Brasil

Mais uma vez a CerradinhoBio é destaque no ranking das MELHORES & MAIORES DA REVISTA EXAME. Na edição publicada em 2016, a CerradinhoBio conquistou as seguintes colocações entre as 1000 maiores empresas do Brasil:

  • 861º – entre as 1000 maiores em vendas
  • 211º – entre as 400 maiores do agronegócio
  • 52º – entre as 100 maiores Região Centro-Oeste

Melhores & Maiores é uma publicação da Revista Exame, na qual são relacionadas as empresas de maior credibilidade no mundo dos negócios.

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

Última Atualização em 8 de Setembro de 2016

​ ​
CerradinhoBio recebe o Prêmio MasterCana 2016

icone 08/09/2016

O Prêmio Mastercana 2016 de distinção aos Melhores do Ano no Setor Sucroenergético na região Centro-Sul, na categoria MasterCana Desempenho 2016 – Gestão Agroindustrial foi recebido pelo Diretor de Operações da CerradinhoBio, Fernando Tersi. A cerimônia aconteceu no dia 22 de agosto, em Ribeirão Preto.

O evento marcou a abertura da programação da Fenasucro & Agrocana. Tradição no setor e em sua 28ª edição, premiou os destaques da agroindústria canavieira e reconheceu o trabalho das melhores da cadeia sucroenergética que contribuem para a promoção do bem-estar social e do desenvolvimento sustentável.

O prêmio reconhece o trabalho de pessoas e organizações que estão em busca da otimização do setor, em aspectos produtivos, tecnológicos e socioeconômico, e trabalham por um setor mais eficiente e alinhado com a sustentabilidade do meio ambiente, além de fortalecer as relações com as lideranças empresariais e políticas, entidades e fornecedores de serviços ligados ao setor.

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

Última Atualização em 8 de Setembro de 2016

​ ​
CerradinhoBio consolida governança com contratação de Vice-Presidente

icone 04/11/2015

CerradinhoBio consolida governança com contratação de vice-presidente

Chapadão do Céu – GO, 04 de novembro de 2015 – Paulo Oliveira Motta Júnior assumiu, no último dia 3 de novembro, a vice-presidência da Cerradinho Bioenergia S.A., empresa tradicional do setor sucroenergético brasileiro. A chegada do profissional consolida ainda mais o processo de governança corporativa que teve início em 2010 com a formação do Conselho Administrativo, hoje composto por três membros da família Sanches Fernandes e três conselheiros independentes. À frente da companhia está o empresário Luciano Sanches Fernandes, atual presidente.

O vice-presidente é engenheiro metalúrgico formado pela Universidade Federal de Ouro Preto. Pós-graduado em Administração de Empresas pela Universidade Federal da Bahia, é formado como Conselheiro de Empresas pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa – IBGC, além de possuir outros cursos de especialização em escolas do Brasil e exterior (Fundação Dom Cabral, Kellog Scholl of Management, University of Tennessee, University of Western Ontario). Ao longo de sua trajetória profissional, ocupou posições executivas sêniores em empresas como Alcan Alumínio S.A., onde trabalhou por quase duas décadas, no Brasil e Canadá. Nos últimos onze anos, foi diretor de Negócio Zinco da Votorantim Metais S.A., e Diretor Executivo e Diretor Vice-Presidente da Votorantim Cimentos S.A.

A Cerradinho Bioenergia S.A. concentra sua planta industrial em Chapadão do Céu, Goiás. Produz etanol e bioeletricidade e está em sua sétima safra. A empresa foi fundada pela família Sanches Fernandes que atua há mais de 4 décadas no setor sucroenergético. A companhia tem cerca de dois mil colaboradores diretos, tendo no ser humano o seu maior patrimônio. Com crescimento sustentável, respeito ao meio ambiente, rentabilidade das operações e excelência nos processos a empresa avança em direção ao futuro.

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

Última Atualização em 4 de Novembro de 2015

​ ​
Cerradinho Bioenergia cresce 197 posições no ranking Valor1000

icone 27/08/2015

Cerradinho Bioenergia cresce 197 posições no ranking Valor1000

A CerradinhoBio cresceu 197 posições, alcançando a 776ª colocação no Ranking Valor1000, que analisa o desempenho das empresas compreendidas em 26 setores de atividades da economia brasileira.

Na edição de 2015, a empresa foi eleita a melhor e a maior no setor de Açúcar e Álcool, das regiões Norte e Centro-Oeste, ficou em 6º lugar entre as melhores do país.

Considerando Açúcar e Álcool, a empresa ficou em:

  • 6º lugar na classificação final;
  • 4º lugar em margem EBTIDA;
  • 7º lugar em crescimento sustentável;
  • 7º lugar em margem da atividade;
  • 7º lugar em liquidez corrente;
  • 2º lugar em cobertura de juros.

O jornal Valor Econômico, divulga anualmente o Valor1000, listando as 1.000 maiores empresas do país. Neste anuário, as empresas representaram 59% do PIB brasileiro, com receita líquida total somada de R$2,9 trilhões.

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

Última Atualização em 27 de Agosto de 2015

​ ​
Melhores & Maiores: CerradinhoBio está entre as 1000 maiores empresas do Brasil!

icone 14/07/2015

Melhores & Maiores: CerradinhoBio entre as 1000 maiores empresas do Brasil!

Mais uma vez a CerradinhoBio é destaque no ranking das MELHORES & MAIORES DA REVISTA EXAME. Na edição 2015, a CerradinhoBio conquistou as seguintes colocações entre as 1000 maiores empresas do Brasil:

  • 902ª colocação no ranking geral;
  • 56ª colocação entre as 100 Maiores da região Centro-Oeste;
  • 215ª colocação entre as 400 Maiores do Agronegócio;
  • 30ª colocação entre das 50 Maiores do Agronegócio nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Conquistamos também a 21ª colocação no ranking das 50 Maiores do Agronegócio em termos de crescimento das vendas.

Melhores & Maiores é uma publicação da Revista Exame, conhecida como a “Bíblia dos Negócios”, no qual são relacionadas as empresas de maior credibilidade no mundo dos negócios.

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

Última Atualização em 16 de Julho de 2015

​ ​
CerradinhoBio mantém seu ritmo de crescimento e financia recurso de R$150 milhões com IFC

icone 15/08/2016

CerradinhoBio mantém seu ritmo de crescimento e financia recurso de R$ 150 milhões com IFC

O financiamento de R$ 150 milhões da International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, será destinado à consolidação do plano de expansão da planta industrial da CerradinhoBio, unidade sucroenergética localizada em Chapadão do Céu, Goiás.

A liberação dos recursos da IFC também vai suportar a finalização do projeto de cogeração de energia da empresa, que já conta com o apoio da linha Inova Sustentabilidade do BNDES. O investimento totaliza aproximadamente R$ 300 milhões e tem previsão de conclusão em março de 2017. Quando concluído, a capacidade de exportação de energia cogerada será ampliada de 269 GWh para 850 GWh. A expectativa é incentivar, inclusive, o desenvolvimento de outras fontes de biomassa, além do bagaço e palha de cana-de-açúcar, reduzindo as emissões de dióxido de carbono de cerca de 280.000 toneladas por ano.

O desembolso do dinheiro está previsto para o mês de agosto, com um prazo total de 10 anos, sendo 3 de carência. A expansão da usina e da cogeração devem aumentar o relacionamento com agricultores da região, fortalecendo o desenvolvimento local. De acordo com a IFC, a corporação apoia e contempla empresas como a CerradinhoBio, que se mostram competitivas no mercado do agronegócio e comprometidas com a sustentabilidade social e ambiental. Ainda na visão da IFC, o setor sucroenergético é, também, chave para o crescimento da economia brasileira e para a geração de empregos.

Safra – Na safra 2015/16, a usina teve uma moagem recorde de 4,8 milhões de toneladas, um aumento de 17% em relação ao período anterior, com perspectiva de novo crescimento em 2016/17, para um total de 5,0 milhões de toneladas. A produtividade agrícola de 108ton/ha, foi significativamente superior à média do setor, em linha com os níveis atingidos desde a safra 2012/13.

O resultado operacional medido pelo EBITDA teve um crescimento de 31% e atingiu R$ 364,2 milhões. O lucro líquido foi de R$ 40,9 milhões, 44% superior ao atingido na safra 2014/15. Esses resultados permitiram à Companhia sustentar uma posição financeira bastante robusta, com dívida líquida inferior à 2x o EBITDA.

Governança – Em junho de 2016, Paulo Oliveira Motta Júnior assumiu a presidência da CerradinhoBio. A chegada do executivo em 2015, complementa a última etapa do plano de governança corporativa aprovado pelo Conselho Administrativo, que teve início em 2010. Hoje, o Conselho de Administração é composto por três membros da família Sanches Fernandes e três conselheiros independentes. O empresário Luciano Sanches Fernandes agora se dedica exclusivamente à presidência do Conselho.

Sobre a Cerradinho Bioenergia S/A – É uma empresa que atua no setor de biocombustíveis e bioeletricidade. Tem capacidade de moagem de 5,3 milhões de toneladas de cana por ano e gera 3.800 empregos entre diretos e indiretos. A Companhia detém uma logística eficiente, o que possibilita custos compatíveis para escoamento de sua produção de etanol para a região de Paulínia. Parte do Grupo Cerradinho, conta com experiência de mais de 4 décadas no setor sucroenergético.

Outras informações: Comunicação Social – comunicacao@cerradinho.com.br

Para fazer o download da notícia em PDF, por favor clique aqui.

Última Atualização em 15 de Agosto de 2016

​ ​
CerradinhoBio é destaque em Melhores Práticas de Produção

icone 15/04/2015

CerradinhoBio é homenageada como empresa destaque em Melhores Práticas de Produção

Realizado pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, a terceira edição do Fórum Brasileiro da Indústria de Alimentos aconteceu em Goiânia, na última sexta-feira, 10 de abril. O evento reuniu líderes políticos e empresariais, dentre eles o governador de Goiás Marcone Perillo; ministro da Fazenda, Joaquim Levy; o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo; o presidente da ABIA, Edmundo Klotz; o ex-ministro da Agricultura e conselheiro independente da CerradinhoBio Roberto Rodrigues; o ex-ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e presidente do LIDE INTERNACIONAL Luiz Fernando Furlan; o presidente do SIFAEG André Rocha e o jornalista e publicitário João Doria Jr.

O evento teve foco em aspectos ligados à produção, qualidade, embalagem, agregação de valor, marketing e logística de alimentos. Após o encerramento dos debates foram entregues os Prêmios ABIA-LIDE, que homenagearam empresas de destaque no campo da alimentação, nas categorias Desenvolvimento de Canais de Distribuição; Eficiência em Comunicação e Marketing; Inovação em Produtos; e Melhores Práticas da Produção, categoria que homenageou a CerradinhoBio, representada pelo nosso Presidente, Luciano Sanches Fernandes, que participou do evento.

Última Atualização em 15 de Abril de 2015

​ ​
CerradinhoBio entre as 100+ Inovadoras no uso de TI!

icone 06/04/2015

CerradinhoBio entre as 100+ Inovadoras no uso de TI!

A Cerradinho recentemente ganhou destaque ao estar no ranking” As 100 + Inovadoras no Uso de TI”, produzido pela IT Mídia em parceria com a PWC. Os critérios considerados para a avaliação foram de estratégia e inovação de TI, processo de inovação e transformação digital.

As 100+ Inovadoras no Uso de TI é um estudo reconhecido pelo mercado como o mais importante balizador da aplicabilidade da tecnologia em prol da inovação

empresarial, apontando as empresas que percebem a TI como ferramenta estratégica e defendem este investimento.

A CerradinhoBio vem se destacando por suas excelentes conquistas graças a eficiência de nossos profissionais e de nossa visão estratégica, que vem permitindo contínuo crescimento e destaque em um mercado competitivo.

 

Última Atualização em 6 de Abril de 2015

​ ​
CerradinhoBio alcança excelentes resultados na safra 2014/15

icone 30/03/2015

CerradinhoBio alcança excelentes resultados na safra 2014/2015

A safra 2014/2015 ainda não acabou, mas os excelentes resultados já começam a aparecer! Na mesma semana em que atingimos a moagem recorde de 4 milhões de toneladas de cana, a CerradinhoBio​ ficou classificada entre as três melhores no ranking das USINAS CAMPEÃS DE PRODUTIVIDADE AGRICOLA (Grupo IDEA e CTC) e é a número 1 em produtividade da cana no estado de Goiás!

A premiação aconteceu na última semana durante o Seminário de Mecanização e Produção de Cana de Açúcar, em Ribeirão Preto/SP.

A premiação recebida e o recorde alcançado, demonstram que a dedicação e empenho de todos os colaboradores mantém a CerradinhoBio no caminho certo para o seu crescimento e desenvolvimento! Parabéns a todos!

Última Atualização em 30 de Março de 2015

​ ​
Fato Relevante – 2ª Emissão de Debêntures

icone 30/03/2015

Fato Relevante – 2ª Emissão de Debêntures

Chapadão do Céu, 30 de março de 2015 — A Cerradinho Bioenergia S.A. (“Companhia”), em observância aos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) n.º 476, de 16 de janeiro de 2009, conforme alterada, comunica ao mercado em geral que, em 17 de março de 2015, com a recomendação de seu Conselho de Administração, sua Assembleia Geral Extraordinária aprovou a realização da 2ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie com garantia real e com garantia adicional fidejussória, em série única, para distribuição pública com esforços restritos de colocação, de 15.000 (quinze mil) debêntures, com valor nominal unitário de R$10.000,00 (dez mil reais) (“Valor Nominal Unitário”), totalizando, na data de emissão, o valor de R$150.000.000,00 (cento e cinquenta milhões de reais) (“Emissão”), em consonância com a Instrução da CVM n.º 476, de 16 de janeiro de 2009, conforme alterada (“Instrução CVM 476”) e nos termos da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada, com prazo de vencimento de 54 (cinquenta e quatro) meses contados a partir de 27 de março de 2015 (“Data de Emissão”), com vencimento final, portanto, em 27 de setembro de 2019 (“Data de Vencimento”), ressalvadas as hipóteses de vencimento antecipado constantes do “Instrumento Particular de Escritura da 2ª Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie com Garantia Real e Garantia Adicional Fidejussória, em Série Única, para Distribuição Pública, com Esforços Restritos de Distribuição, da Cerradinho Bioenergia S.A.” (“Escritura”).

A 2ª Emissão de Debêntures é destinada exclusivamente a investidores qualificados, conforme definidos na Instrução da CVM n.º 409, de 18 de agosto de 2004, conforme alterada, observado o disposto no artigo 4º da Instrução CVM 476 e ressalvado o disposto no parágrafo 1º do artigo 15 da Instrução CVM 476, automaticamente dispensada de registro de distribuição pública na CVM nos termos do artigo 6º da Instrução CVM 476. Não haverá atualização do Valor Nominal Unitário das Debêntures. Sobre o Valor Nominal Unitário, incidirão juros remuneratórios correspondentes a 100% (cem por cento) da
variação acumulada das taxas médias diárias dos DI – Depósitos Interfinanceiros de um dia, “extra grupo” (“Taxa DI”), expressa na forma percentual ao ano, base 252 (duzentos e cinquenta e dois) Dias Úteis, calculada e divulgada diariamente pela CETIP no informativo diário, disponibilizado em sua página na Internet (//www.cetip.com.br), acrescido de uma sobretaxa ou spread de 3,00% a.a. (três inteiros por cento ao ano), calculados de forma exponencial e cumulativa “pro rata temporis”, por 252 Dias Úteis, desde a Data de Emissão, ou da Data de Pagamento da Remuneração imediatamente anterior, até a Data de Pagamento da Remuneração, ressalvadas as hipóteses de Resgate Antecipado Facultativo Total ou Resgate Antecipado Obrigatório Total, e de liquidação antecipada resultante de uma das Hipóteses de Vencimento Antecipado, conforme o caso (“Remuneração”).

O pagamento das Debêntures será garantido (i) pela constituição de garantia real, sob condição suspensiva, nos termos do artigo 125 da Lei n.º 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (“Código Civil”), na forma de cessão fiduciária dos direitos creditórios originados por Contrato de Compra e Venda de Álcoois e (ii) garantia fidejussória de Fiadora, Cerradinho Participações S.A. (CNPJ/MF n.º 11.196.718) no valor de fiança limitado ao valor total das obrigações inerentes à Emissão.

As Debêntures foram registradas para distribuição (i) no mercado primário por meio do MDA – Módulo de Distribuição de Ativos, administrado e operacionalizado pela CETIP, sendo a distribuição das Debêntures liquidada financeiramente por meio da CETIP e (ii) para negociação no mercado secundário por meio do CETIP21, sendo as negociações das Debêntures liquidadas financeiramente por meio da CETIP e as Debêntures custodiadas eletronicamente na CETIP.

Os recursos oriundos da captação por meio da 2ª Emissão de Debêntures foram/serão utilizados para (i) realizar o resgate total antecipado facultativo de notas promissórias comerciais, perfazendo o montante total de R$ 100.000.000,00 (cem milhões de reais), emitidas em 30 de setembro de 2014, com vencimento em 29 de março de 2015 (“Emissão de Notas Promissórias”); (ii) liquidação antecipada de contratos de financiamento que a Emissora possui; e (iii) usos gerais na manutenção das atividades da Emissora.

O presente material tem caráter exclusivamente informativo, nos termos da legislação em vigor, e não deve ser interpretado como um material de venda das Debêntures.

Gustavo de Marchi Galvão Oliveira
Diretor Financeiro

Última Atualização em 30 de Março de 2015

​ ​
Recorde CerradinhoBio - 4 milhões de tonelada de cana moída!

icone 30/03/2015

Recorde CerradinhoBio – 4 milhões de tonelada de cana moída!

Na última semana atingimos a moagem de 4 milhões de toneladas da cana. Esse número é inédito para a CerradinhoBio e é muito importante para que a empresa alcance os resultados esperados e avance no seu crescimento!

Parabéns a todo o time da CerradinhoBio que se empenhou para alcançarmos esse resultado, e que vem contribuindo para nossa história de sucesso!

Temos muito o que comemorar! Este resultado mostra que estamos no caminho certo e, que agora é o momento de unir mais ainda nossas forças para juntos alcançarmos as metas que ainda faltam.

E que venha a safra 2015/2016 para vencermos novos desafios.

Juntos, somos mais fortes!!!

 

Última Atualização em 30 de Março de 2015

​ ​
Cerradinho Recebe o Selo Energia Verde

icone 13/02/2015

Certificado – Selo Energia Verde: Número 027/2015

A União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo – UNICA certifica que a CERRADINHO BIOENERGIA S.A. (CNPJ 08.322.396/0001-03) está inscrita no Programa de Certificação da Bioeletricidade, aceitando integralmente as diretrizes de seu regulamento e cumprindo seus pré-requisitos.

Para o ano de 2015, a CERRADINHO BIOENERGIA S.A. declara a produção estimada de bioeletricidade para a unidade produtora UTE PORTO DAS ÁGUAS (CNPJ 08.322.396/0001-03), nos seguintes montantes (em MWh):

  • Fornecido ao sistema elétrico nacional: 185.712
  • Produzido para o consumo próprio: 155.000

O Programa de Certificação da Bioeletricidade tem validade de 01/01/2015 à 31/12/2015.

São Paulo, 13 de fevereiro de 2015.

Última Atualização em 13 de Fevereiro de 2015

​ ​
CerradinhoBio Desenvolve Programa Volta às Aulas

icone 28/01/2015

Programa Volta às Aulas

Incentivar a educação, essa é uma das ações que a CerradinhoBio desenvolve pensando nas futuras gerações. Assim, neste ano, entregou a todos os filhos de colaboradores – de 06 a 14 anos matriculados no ensino fundamental – um kit escolar (mochila, lápis de cor, estojo, cadernos, canetas, lápis e borracha) para que possam estudar com qualidade e dedicação.

 

 

 

 

 

 

 

Última Atualização em 28 de Janeiro de 2015

​ ​
BNDES aprova R$ 592,1 mi para quatro projetos inovadores do setor sucroenergético

icone 18/12/2014

BNDES aprova R$ 592,1 mi para quatro projetos inovadores do setor sucroenergético

Recursos viabilizarão a quarta planta de etanol celulósico do País e incluem os primeiros projetos aprovados do PAISS Agrícola e do Inova Sustentabilidade

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamentos a quatro projetos do setor sucroenergético, no valor total de R$ 592,1 milhões. A maior operação será com a Abengoa Bioenergia Agroindústria S.A., que receberá R$ 309,6 milhões para implantar planta de etanol de segunda geração (2G).

Será a quarta planta de etanol 2G do Brasil e terá a capacidade nominal de 64 milhões de litros por safra. A unidade será construída de forma integrada ao processo tradicional de produção de etanol, na Usina São Luiz, em Pirassununga, São Paulo. Com mais este investimento, a capacidade instalada de produção de etanol 2G no Brasil atingirá quase 200 milhões de litros por safra.

PAISS Agrícola – Foram aprovados os dois primeiros projetos no âmbito do PAISS Agrícola. A primeira operação aprovada foi a da Biovertis Produção Agrícola Ltda., de Barra de São Miguel, Alagoas, que receberá R$ 139,3 milhões. Os recursos serão destinados à realização de investimentos no estabelecimento de um sistema de manejo adequado para cana-energia, que é um tipo de cana-de-açúcar com alta produtividade e maior concentração de biomassa.

O projeto vai desenvolver diferentes técnicas de manejo de alta performance para várias atividades, dentre as quais estão preparo do solo, plantio, tratos culturais, colheita e transporte.

A segunda aprovação do PAISS Agrícola é da Raizen Energia S.A., no valor de R$ 4,5 milhões, cujo objetivo é viabilizar em larga escala técnicas mais ágeis e eficientes de propagação de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar. Com a nova técnica, espera-se reduzir significativamente os custos de plantio, além de aumentar a qualidade da germinação da lavoura de cana, contribuindo para incrementar a produtividade agrícola do setor.

Inova Sustentabilidade – o setor sucroenergético foi responsável pela primeira aprovação do BNDES no âmbito do Inova Sustentabilidade, programa em conjunto com Finep que busca, dentre outros objetivos, apoiar o desenvolvimento tecnológico e a difusão de produtos e processos que promovam a produção sustentável.

A operação aprovada pela diretoria do BNDES é da Cerradinho Bioenergia S.A., que terá financiamento de R$ 138,8 milhões para investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) relacionados à implantação de sistema de limpeza a seco de cana-de-açúcar e à implantação de sistema de recepção e separação de fardos de palha de braquiária e de cana-de-açúcar na unidade industrial de Chapadão do Céu, Goiás.

Com os recursos, a Cerradinho também investirá na compra de máquinas e equipamentos nacionais. Eles serão usados na recepção e separação dos fardos de palha de braquiária e da cana. O projeto também abarca investimentos que devem elevar de 70MW para 160 MW a capacidade de cogeração de energia elétrica da usina. Também será adquirido um sistema de limpeza a seco da cana-de-açúcar na fábrica de Chapadão do Céu.

Última Atualização em 18 de Dezembro de 2014

​ ​
CerradinhoBio recebe o Prêmio Master Cana Brasil

icone 01/12/2014

CerradinhoBio recebe o Prêmio Master Cana Brasil – Desempenho Bioenergia

Representantes das principais empresas, usinas e entidades do setor sucroenergético do país estiveram reunidas em São Paulo para a realização do PRÊMIO MASTER CANA BRASIL, que reconhece as ações e iniciativas de aprimoramento humano, tecnológico e socioeconômico do setor sucroenergético.

O reconhecimento de um trabalho só é possível quando há empenho e dedicação na busca dos melhores resultados! Esse prêmio é mais uma vitória de todos que fazem parte da CerradinhoBio.

Última Atualização em 1 de Dezembro de 2014

​ ​
Prêmio Visão Agro 2014 - CerradinhoBio entre as melhores!

icone 20/11/2014

Prêmio Visão Agro 2014 – CerradinhoBio entre as melhores!

A CerradinhoBio é destaque no setor sucroenergético novamente! Recebemos o Prêmio Visão Agro 2013/2014 nas categorias: Geração e Cogeração de Energia e Usina Modelo.

Esse prêmio homenageia anualmente usinas, destilarias e empresas fornecedoras de produtos e serviços em todo território brasileiro, bem como empreendedores visionários que se destacaram em áreas de transformação e produção no agronegócio canavieiro, e fizeram a diferença no ciclo 2013/2014 dentro do mercado sucroenergético nacional, em sua respectiva área de atuação.

Parabenizamos a todos! Esse reconhecimento é reflexo do empenho e do ótimo trabalho que vem sendo desenvolvido.

Última Atualização em 20 de Novembro de 201

​ ​
CerradinhoBio é premiada no MasterCana 2013

icone 25/08/2014

CerradinhoBio é premiada no MasterCana 2013

A CerradinhoBio participou da 7ª edição do Prêmio MasterCana, uma iniciativa dos grupos Gerhai e ProCana Brasil, que visa incentivar, reconhecer e premiar os Melhores do Ano no Setor Sucroenergético, nas áreas de Estratégia & estão, Gestão Comercial/Financeira, Tecnologia da Informação, Cogeração de Energia, Diversificação de Produtos, Automação/Controle de Processos, Eficiência Industrial, Tecnologia na Produção de Açúcar, Tecnologia na Produção de alcool, Tecnologia Agrícola, CCT e Mecanização, além de práticas de responsabilidade socioambiental, que contribuem para a promoção do bem-estar social e do desenvolvimento sustentável.

A premiação aconteceu em Ribeirão Preto/SP, com a entrega dos troféus aos vencedores de cada categoria e certificados aos 2º e 3º lugares, onde estavam reunidas as maiores empresas do Centro-Sul do país.

A CerradinhoBio recebeu o prêmio Desempenho 2013 – Bioenergia, e na categoria Sustentabilidade e Meio Ambiente ficou em segundo lugar com o projeto RESÍDUO SUSTENTÁVEL.

A CerradinhoBio busca constantemente a inovação em suas áreas de produção, investindo em tecnologia e novas práticas, afim de garantir os melhores índices em seu desempenho; contribui positivamente para a sustentabilidade do planeta e para as futuras gerações e muito se orgulha ao receber este reconhecimento do mercado.

Última Atualização em 25 de Agosto de 2014

​ ​
Cerradinho traça planos ambiciosos de expansão

icone 12/05/2014

Cerradinho traça planos ambiciosos de expansão

“No mercado de energia, a perspectiva é de preços crescentes no longo prazo”, afirmou Luciano Fernandes, da Cerradinho

A última vez que o empresário Luciano Sanches Fernandes figurou com destaque no noticiário econômico, protagonizava uma das operações de venda de usina mais surpreendentes da história do setor sucroalcooleiro. Após quatro meses de negociações com a petroleira BP, vendeu do dia para a noite suas duas usinas de São Paulo para a asiática Noble, diante da tentativa da britânica de mudar na última hora condições previamente acertadas.

Ao se desfazer dos dois ativos paulistas, o grupo ficou com apenas uma unidade, a de Goiás e R$ 300 milhões da dívida, que totalizava R$ 1,3 bilhão. A venda também rendeu aos sócios do grupo, da família Fernandes, R$ 600 milhões em dinheiro, dos quais R$ 300 milhões foram reinvestidos na usina goiana, batizada de Porto das Águas.

Três anos depois, o empresário volta aos holofotes para anunciar que continuará a investir. Até então, o grupo havia injetado R$ 800 milhões. O dinheiro começou a entrar em 2006, ainda no plantio dos primeiros pés de cana em Chapadão do Céu, cidade goiana que abriga a usina, e seguiu irrigando o projeto até março deste ano, quando a empresa concluiu a safra 2013/14 com moagem de 4 milhões de toneladas. Esse valor também incluiu o terminal de transbordo de etanol, construído no ramal ferroviário da América Latina Logística (ALL), em Chapadão do Sul (MS), de onde a empresa escoa o produto até Paulínia (SP).

Agora, o plano é investir mais R$ 500 milhões em cinco anos, diz Fernandes, que preside o grupo. O objetivo é crescer em capacidade de moagem de cana e em produção de etanol, mas o grande motivador desse projeto quinquenal será a cogeração de energia. A meta é mais que triplicar a capacidade atual de 200 mil Megawatts-hora (MWh), para 765 mil MWh até 2018/19.

Para 2014, o conselho de administração da Cerradinho aprovou investir R$ 184 milhões, dos quais R$ 108 milhões, ou 60%, em cogeração. A meta é colocar em operação já em 2016 uma capacidade 50% maior, de 300 mil MWh por ano. “O mercado de energia está muito demandado e a perspectiva é de preços crescentes também no longo prazo. Esse não é o caso do etanol”, disse Fernandes.

Do total de recursos a ser aplicado em cinco anos, em torno de R$ 270 milhões serão aplicados em cogeração. O maior desafio será captar biomassa para suportar o projeto, diz o empresário. O bagaço gerado pela usina não será suficiente, e o grupo terá que criar alternativas para coletar a palha da própria cana – que fica no campo após a colheita mecanizada – e outros tipos de biomassa.

A região no entorno da usina, conta Fernandes, tem uma grande produção de sementes de pastagem. Após a colheita, essa cultura também gera uma palha que é, muitas vezes, queimada a céu aberto. O objetivo da Cerradinho, revela o empresário, é encontrar alternativas viáveis de coletar esse material para dar suporte à planta de eletricidade.

A empresa partirá para a pesquisa. Busca R$ 100 milhões dentro do Inova Sustentabilidade, do BNDES, para desenvolver tecnologia para captar e limpar biomassa. O objetivo é também ampliar a eficiência no processo de produção da energia. Essa captação faz parte dos R$ 500 milhões a serem investidos até 2019.

Em cana e etanol, o aumento será mais modesto. De 4 milhões, a usina passará a moer 5 milhões de toneladas de cana em cinco ano. Para isso, o grupo precisará apenas plantar mais cana, pois a fábrica já comporta essa moagem adicional. “O próprio projeto de cogeração dará suporte energético à moagem maior da usina”.

A produção de etanol, hoje de 332 milhões de litros, deve, até 2018/19, ir a 476 milhões, 43% mais. O diretor de operações agroindustrias da Cerradinho, Fernando Tersi, diz que o foco é ganhar produtividade. Não que ela esteja baixa, explica o executivo. Do canavial goiano, a Cerradinho tirou nas últimas duas safras mais de 100 toneladas de cana por hectare – 104 em 2013/14 e 109 em 2012/13, 30% acima da produtividade das usinas de São Paulo. “Como eram pastagens degradadas, antes de plantar cana, cultivamos por dois anos crotalária, planta que fixa mais nitrogênio no solo”, detalhou Tersi.

A meta da empresa, que hoje produz 9 mil litros de etanol por hectare – ante a média de 7 mil litros de São Paulo – é elevar essa produtividade a 10 mil litros por hectare. A Cerradinho vai buscar esse ganho com desenvolvimento de tecnologia e, para isso, protocolou três projetos que pleiteiam R$ 80 milhões no PAISS Agrícola, programa conjunto do BNDES e da Finep. Se esses projetos forem aprovados, os investimentos totais da companhia podem ir a R$ 580 milhões. “Queremos colher cana em três linhas. A maior parte do setor colhe uma linha de cada vez. Já adotamos duas linhas em metade da nossa área”, orgulha-se Tersi.

A empresa defende que é nessa elevada produtividade agrícola e industrial que está a base dos resultados obtidos. Mesmo com um modelo que contempla produção de etanol hidratado e eletricidade fora de São Paulo, o grupo diz estar satisfeito com os resultados. “Geramos caixa, investimos, desalavancamos e pagamos dividendos”, afirmou o diretor administrativo e financeiro do grupo, Gustavo de Marchi Oliveira.

Na safra 2013/14, a Cerradinho teve um lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 186,1 milhões, 72% maior. A margem Ebitda foi de 37%, ganho de 4 pontos percentuais. Oliveira esclarece que a metodologia considera tratos culturais e manutenção industrial como despesa, e não investimento. O variação dos ativos biológicos também não entra na conta. “Se adotado o mesmo padrão contábil (IFRS) dos grupos de capital aberto, nosso Ebitda foi de R$ 250 milhões e a margem, de 51%”, compara Oliveira.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em //www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

Leia mais em:
//www.valor.com.br/agro/3543794/cerradinho-traca-planos-ambiciosos-de-expansao#ixzz350wGTQG6

Última Atualização em 12 de Maio de 2014

​ ​
Diferencial competitivo em logística

icone 12/05/2014

Diferencial competitivo em logística

Quando começou a onda de investimentos em etanol fora do Estado de São Paulo, por volta de 2006, o presidente da Cerradinho, Luciano Sanches Fernandes, pesquisou solo, clima, priorizou incentivos fiscais dados por governos estaduais, mas uma das suas grandes preocupações era a logística para acessar o Estado de São Paulo, maior consumidor de combustíveis do país.

O local não poderia ser mais adequado. A usina do grupo foi instalada a 40 quilômetros do terminal ferroviário da América Latina Logística (ALL) em Chapadão do Sul (MS). Lá, a empresa construiu uma estação de transbordo, que carrega no trem seu etanol hidratado com rumo a Paulínia (SP). “Nossa logística é muito competitiva. É como se estivéssemos produzindo etanol em São Paulo”, diz o diretor comercial e de logística do grupo, Charles Wagner Zanotti. A condição faz toda a diferença, uma vez que apenas 30% do etanol hidratado produzido em Goiás é consumido no próprio Estado.

Com capacidade de transbordo de 1 bilhão de litros por ano, a estrutura tem uma taxa de utilização de 60%, com etanol próprio e de quatro usinas da região. No fim do ano passado, a empresa começou a explorar uma nova oportunidade de negócio na estrutura de transbordo. Fechou um contrato com a distribuidora Ipiranga com duração inicial de três anos. A nova cliente traz de Paulínia, pela ferrovia, óleo diesel para abastecer o Centro-Oeste e usa o terminal da Cerradinho para descarregar o produto em Chapadão do Sul.

Com a ferrovia, operada pela ALL, a Cerradinho Bioenergia tem um contrato de transporte de 20 anos, assinado em setembro de 2010. A mudança do controle da ALL, que passará para as mãos da Rumo, braço logístico da Cosan, não preocupa o executivo. “Nosso contrato garante direito de preferência para quando a ALL for renovar sua concessão”, afirmou Zanotti. (FB)

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em //www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

Leia mais em:
//www.valor.com.br/agro/3543796/diferencial-competitivo-em-logistica#ixzz350wsqf9l

Última Atualização em 12 de Maio de 2014

​ ​
Evento premia os maiores do ICMS em Goiás

icone 17/04/2014

Evento premia os maiores do ICMS em Goiás

Chapadão do Céu está entre os destaques pela participação do agronegócio

O Brasil já mostrou ao mundo todo o seu potencial agrícola. Grãos, café, suco de laranja, carne, açúcar e etanol estão entre os produtos que lideram as exportações nos últimos anos. O agronegócio nacional impulsiona o crescimento de regiões como o Centro-Oeste. E Goiás é o Estado que oferece as maiores oportunidades para este desenvolvimento.

Esta análise foi apresentada durante a realização da 19ª edição do prêmio “Maiores do ICMS”, ocorrido em Rio Verde, GO, no último dia 15 de abril. O evento laureou as principais empresas recolhedoras de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas regiões Sudoeste e Oeste e as prefeituras que abrigam estas empresas. A promoção foi uma parceria entre o jornal O POPULAR e o governo de Goiás.

Chapadão do Céu, tradicional celeiro agrícola de Goiás, foi um dos agraciados na cerimônia que reuniu expressivas lideranças políticas e empresariais. O município está entre os 10 principais arrecadadores de ICMS do estado. Uma contribuição que tem a participação da CerradinhoBio como um dos vetores deste desempenho. Constatação feita pelo atual prefeito do município, Rogério Pianezzola (Rogério Graxa). “Sem dúvida que a chegada da usina trouxe desenvolvimento para nosso município proporcionando divisas. Esperamos ampliar a parceria entre a empresa e o Município”, disse ele, que não pôde comparecer em virtude de um compromisso oficial em Goiânia. Foi representado pelo secretário de Indústria e Comércio, Alexander Correa Rodrigues e, pela vereadora, Railda Rodrigues.

A solenidade contou com uma palestra do pesquisador e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), engenheiro agrônomo, Luiz Antonio Pinazza, que apresentou detalhes do projeto cuja meta é situar o agronegócio como eixo do planejamento nacional para as próximas décadas.

Para o presidente da CerradinhoBio, Luciano Sanches Fernandes, a premiação reflete a consideração do Estado quanto à performance de produtividade e agregação de valor, tanto em nível estadual quanto municipal. “Estamos orgulhosos por fazer parte deste resultado. Um reconhecimento que atesta um modelo de empreendimento sustentável bem sucedido”, concluiu.

O Gerente Contábil e Tributário da CerradinhoBio Aílson Basílio e o Secretário de Indústria e Comércio de Chapadão do Céu Alexander Correa Rodrigues, recebem o prêmio das mãos do Secretário Estadual de Planejamento, Leonardo Vilela.

Última Atualização em 17 de Abril de 2014

​ ​
CerradinhoBio é 1º lugar em Produtividade da Cana no estado de Goiás!

icone 24/03/2014

CerradinhoBio é 1º lugar em Produtividade da Cana no estado de Goiás!


A CerradinhoBio acaba de receber o prêmio USINAS CAMPEÃS DE PRODUTIVIDADE AGRICOLA (Grupo IDEA e CTC).

Nesse prêmio são analisadas cerca de 200 unidades sucroenergéticas, utilizando-se os critérios:

 

  • Moagem mínima: 600 mil toneladas
  • Total de safras já realizadas: Mínimo 4 safras
  • Produtividade: Cana Bis < 10%
  • Máximo de cana planta (18m): 20% da área de corte
  • Índice IDEA = TCH (ATR x 0,67) + (IDADE MÉDIA x 10)

Concorrendo entre 11 usinas na região centro-sul do país, dos estados de GO, MS, MG, PR e SP, a CerradinhoBio ficou em 4º lugar no ranking geral e é 1º lugar no estado de Goiás.

A premiação aconteceu no dia 27/03, durante o Seminário de Mecanização e Produção de Cana de Açúcar, realizado em Ribeirão Preto/SP.

Última Atualização em 24 de Março de 2014

​ ​
CerradinhoBio fica 1º lugar no Prêmio Produz 2013

icone 04/12/2013

CerradinhoBio fica 1º lugar no Prêmio Produz 2013


A CerradinhoBio está em festa! Em 2013 recebemos mais uma vez o importante prêmio PRODUZ, para reconhecer e incentivar o trabalho das empresas que movimentam o agronegócio brasileiro e investem em sustentabilidade.

Neste ano fomos duplamente premiados! Com o projeto Um Olhar Comunitário, a CerradinhoBio levou o 1º lugar em RESPONSABILIDADE AMBIENTAL, e ficou em 2º lugar com o trabalho desenvolvido em RESPONSABILIDADE SOCIAL.

A cerimônia de premiação aconteceu no dia 20 de novembro, no Castro’s Park Hotel, em Goiânia. O Diretor de Operações Agroindustriais Fernando Tersi representou a empresa durante o evento que contou com a presença de diversas autoridades, produtores rurais, além dos representantes das empresas inscritas na premiação.

Esse tipo de reconhecimento demonstra que a CerradinhoBio está no caminho certo para se tornar cada vez mais, uma empresa ciente da importância de sua responsabilidade com a sociedade, o meio ambiente e as gerações futuras.

Última Atualização em 4 de Dezembro de 2013

​ ​
Chapadão do Céu conquista o melhor IDR do Brasil

icone 16/07/2013

Chapadão do Céu conquista o melhor IDR do Brasil

 

Criados ou fortalecidos pelo intenso fluxo migratório de produtores do Sul na segunda metade do século passado, municípios da região Centro-Oeste que se tornaram importantes polos agrícolas nas últimas décadas apresentam também os maiores índices de desenvolvimento rural do país, conforme estudo inédito encomendado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e recém-concluído pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Liderado pelos pesquisadores Ignez Lopes, Mauro Lopes e Daniela Rocha, o trabalho analisou 5.489 municípios a partir do cruzamento de dados do Censo Agropecuário 2006 e do Censo demográfico 2010, realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E revela, também, que muitas “novas fronteiras” de grãos do país não têm condições sociais à altura da força de suas produções, que escassez de recursos naturais e má gestão mantêm dezenas de municípios do Piauí e do Maranhão na ponta de baixo da tabela e que, apesar de seu grande peso econômico, o campo ainda convive com elevados índices de pobreza.

“Os resultados vão ao encontro do que o mundo real nos mostra nas diversas viagens que fazemos. Validam o que a gente vê depois de uma década e meio de crescimento extraordinário da agricultura no país e mostram que, apesar de existirem problemas, esse movimento gerou desenvolvimento social”, afirma Ignez Lopes, que ao lado do Mauro estuda o setor desde a década de 70. O Índice de Desenvolvimento Rural (IDR) calculado pelo Ibre leva em consideração diferentes pesos para quatro dimensões distintas: social (30,1%), econômica (29,5%), demográfica (22,8%) e ambiental (17,6%).

Do cruzamento dos dados do IBGE e dos pesos conferidos a essas dimensões a partir de método estatístico e em consonância com novos conceitos propostos por entidades multilaterais como a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), oito municípios do Centro-Oeste despontaram entre os dez de melhores IDRs do país, em um “domínio” quebrado apenas pelas presenças de Uberaba (MG) e de Telêmaco Borba (PR), que ficaram na sexta e na décima posições no ranking, respectivamente.

A lista é encabeçada pela pequena Chapadão do Céu, localizada no sudoeste de Goiás, bem perto da fronteira com o Mato Grosso do Sul. Com 2.185 quilômetros quadrados, 7.001 habitantes em 2010 e Produto Interno Bruto (PIB) per capita anual de quase R$ 98 mil, a cidade foi apontada, em 2000, como a de maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Goiás – uma das 100 maiores do país. Com produções proporcionalmente elevadas de soja, milho e algodão, além de feijão e cana e uma significativa pecuária leiteira, Chapadão do Céu tem a vantagem de abrigar parte do Parque Nacional das Emas e apresentar um ecoturismo também desenvolvido, o que lhe confere um maior dinamismo.

Fundada em 1982 a partir de uma agrovila criada no entorno da Fazenda Santa Amélia, dedicada sobretudo à pecuária de corte, Chapadão do Céu fazia parte da vizinha goiana Aporé, que, por sua vez, se emancipou de Jataí em 1958. A agrovila nasceu na década de 70, e na época começou a crescer justamente por conta da crise fundiária da região Sul e da chegada de produtores principalmente do Paraná e do Rio Grande do Sul.

Mauro Lopes esteve recentemente na cidade, que tem fartos recursos hídricos, e se impressionou. “O clima é surpreendentemente agradável, e as fazendas às margens das estradas são muito bem estruturadas e cuidadas, o que mostra que os produtores e suas famílias vivem no lugar, o que tem impacto direto sobre o desenvolvimento social de um município”. O Valor também esteve por lá em março de 2011, quando agronegócio e ambiente se uniram em um casamento pouco usual para evitar a proliferação de pragas no Parque Nacional das Emas com a aplicação controlada de agrotóxicos.

Apesar desse esforço conjunto, a ambiental foi a dimensão que apresentou a nota mais baixa de Chapadão do Céu segundo os critérios do Ibre, coerentes com a sensibilidade da região. Ficou com 0,656, mas foi compensada pelas dimensões econômica (0,989), social (0,828) e demográfica (0,818) e apresentou IDR de 0,843. Nota de campeã, mas que, para os pesquisadores, mostra que há espaço para avanços em todas as frentes.

Ignez Lopes atenta para o fato de ser muito pequena a diferença entre as notas das primeiras colocadas do ranking, e que todas elas têm comum notas ambientais mais baixas que as econômicas, sociais e demográficas – exceto Telêmaco Borba, onde a variável social pesou mais sobre o IDR final (0,817). As demais cidades que completam a lista das “10 +” são velhas conhecidas dos leitores deste jornal, cenários de dezenas de reportagens publicadas nos últimos anos.

“Colados” em Chapadão do Céu estão as mato-grossenses Sapezal, na segunda posição com IDR de 0,834, e Alto Taquari, em terceiro 0,828), ambas fortes em soja, milho e algodão. Com essa mesma característica e também situadas em Mato Grosso aparecem Nova Mutum, em quinto lugar (0,823), Campo Novo do Parecis, em sétimo (0,820), Sorriso, em oitavo (0,.819) e Lucas do Rio Verde, em nono (0,819). Maior município produtor de soja do Brasil, Sorriso recebeu do Ministério da Agricultura, no ano passado, o título de “Capital Nacional do Agronegócio”. O país disputa com os Estados Unidos a liderança mundial na produção de soja.

Ao lado dos municípios de Mato Grosso que dominam o topo do ranking surgem São Gabriel do Oeste, no norte de Mato Grosso do Sul, e Uberaba, no oeste mineiro. A primeira, em quarto lugar (IDR de 0,825), teve sua economia rural revigorada pela soja depois que cafezais não vingaram, na década de 70, enquanto a segunda é marcada, entre outras atividades por abrigar um polo de tecnologia de ponta voltada à pecuária.

Com alguns de seus municípios no topo do ranking do IDR, os Estados do Centro-Oeste também aparecem bem posicionados na lista gerada a partir do cruzamento de dados do IBGE realizado pelo Ibre/FGV. A liderança regional ficou com Mato Grosso do Sul (IDR de 0,65), seguido por Goiás (0,63) e Mato Grosso (0,62). Trata-se de um patamar semelhante ao dos berços dos muitos produtores que para lá migraram. No Sul, o Estado de Santa Catarina apresenta o melhor resultado médio (0,65), seguido pelo Rio Grande do Sul (0,64) e pelo Paraná (0,63).

Mas se essas duas regiões são as que têm melhores resultados estaduais médios, São Paulo, no Sudeste, é o Estado que lidera o ranking dos Estados, com 0,69. Além de ser forte em cana, eucalipto, pecuária, laranja e hortifrutis, entre outras culturas e criações, o interior paulista abriga grandes polos desenvolvidos que facilitam o progresso das respectivas cadeias produtivas. É notório, por exemplo, que as estradas de São Paulo são as melhores do país, o que agiliza o escoamento das ofertas destinadas aos mercados doméstico e externo.

Esse conjunto positivo de resultados capturado pelo Ibre/FGV a pedido da CNA não esconde, contudo, que as mazelas nas regiões rurais do país ainda se multiplicam. Mesmo nas regiões mais desenvolvidas nesse sentido, a pobreza persiste. No Sul, enquanto 90,6% dos municípios apresentam graus de desenvolvimento rural alto ou médio, em 9,3% o nível é apenas regular. No Centro-Oeste, o grau regular foi conferido a 14% dos municípios, enquanto no Sudeste 22,9% das cidades ficaram com grau regular e em 3,2% o nível foi considerado baixo.

E a situação nas regiões Norte e Nordeste é grave. Prejudicados principalmente pelos resultados apurados no Amazonas, 64,1% dos municípios nortistas apresentam graus de desenvolvimento rural regular (51,4%) ou baixo (0,9%). No Nordeste, são 65,4% das cidades em situação regular e 1% com baixo grau. É verdade que as novas fronteiras agrícolas que se formaram nas últimas décadas nas regiões de Cerrado de Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia contribuíram para os indicadores econômicos médios desses Estados e regiões, mas também fica evidente que a ocupação desses polos se dá com reflexos sociais menos positivos que os verificados nas fronteiras hoje já tradicionais do Centro-Oeste.

“Apesar de os centros urbanos muitas vezes identificarem apenas o lado rico do agronegócio, ainda há muita pobreza no campo”, afirma Ignez. Como destaca a pesquisadora Daniela Rocha, no oeste da Bahia, cada vez mais relevante na produção de soja, algodão e milho, apenas um município – Luís Eduardo Magalhães -, de um total de 1.780, foi enquadrado no grau de desenvolvimento rural elevado. E isso apesar de suas “dívidas” sociais não serem pequenas. Boa parte das carências sociais das novas fronteiras pode ser explicada pela grande presença de empresas agrícolas, não de agricultores residentes, ou de produtores que vivem em polos tradicionais e mantêm propriedades nessas regiões. As empresas costumam desenvolver ações sociais no entorno das áreas que ocupam, mas o alcance das ações é muitas vezes limitado.

Mas nada comparável à penúria verificada na última página do ranking. Ali, sete cidades do Piauí, duas do Amazonas, uma do Maranhão e uma do Pará lutam, praticamente sem armas, apenas para permanecer no mapa. No leste piauiense, Massapê do Piauí, com 521 quilômetros quadrados e 6.220 habitantes, a população sobrevive com um PIB per capita anual inferior a R$ 3,2 mil, e a agropecuária de subsistência resiste onde as condições naturais permitem ou o poder público cumpre suas funções, o que já pode ser considerado uma bênção.

Nesse contexto, avalia Mauro Lopes, o melhor caminho para que o Índice de Desenvolvimento Rural dos municípios brasileiros evolua é mesmo a educação. “Para que os produtores consigam se apropriar do conhecimento gerado por uma instituição de pesquisas como a Embrapa, por exemplo, é preciso educação. O agronegócio usa cada vez mais tecnologia e os ganhos que podem ser obtidos são fundamentais para o melhor desenvolvimento do campo”. Assim seja.

Fonte: Valor Econômico

Última Atualização em 16 de Julho de 2013